Índia II - Explorando a terra dos Rajs

Passada a divisa, novamente em terras Indianas, tenho que encontrar a melhor opção para chegar até a capital, Nova Delhi e a minha escolha não foi acertada, peguei um ônibus, fileiras de 5 cadeiras de plástico (mais de 70 assentos), sem lugar para colocar minha bagagem que teve que ir no meu colo a maior parte das 15 horas de viagem e poeira, muita poeira, tive que lavar o rosto 4 vezes para tirar quilos de poeira/areia da cara.
Chego em Delhi e vejo uma cidade caminhando para o desenvolvimento mas isso acontece de maneira desordenada, obras por todos os lados mas não se vê trabalhadores qualificados, parecem famílias fazendo trabalho voluntário, tudo isso porque em outubro ele vão receber os Jogos da Commonwealth (jogos das nações que fizeram parte da comunidade britânica) que são o terceiro maior Jogos de múltiplos esportes do mundo e eu duvido que tudo estará pronto até o início.

Um ponto comum nessa parte do país a cidade apresenta um Forte, que não tem nada demais mas foi foi declarada da Independência da Índia frente ao Reino Unido em 1948, um personagem de destaque nesse episódio foi Mahatma Gandhi, figura conhecida por pregar a não violência, mas acabou assassinado logo depois que o país se viu livre do Reino Unido, alias ser Gandhi e líder do país não era boa idéia, Indira Gandhi (sem parentesco algum com o Mahatma) foi morta quando era primeira ministra, seu sucessor Ravij Gandhi (esse sim parente, filha da Indira) também foi assassinado. Essas matança toda por causa de diferença religiosa, deveriam aceitar que nem todos pensam igual, um bom exemplo é o Templo de Lotus, uma bela construção que prega a filosofia Ba-hai, de aceitação e incorporando elementos de diversas religiões.

Já era tempo de sair da bagunça de Delhi e fui desbravar o Rajastão, a terra dos marajás e do calor, imagina um lugar quente, agora adiciona outros muitos graus, vai chegar perto do que estava por lá. A primeira cidade foi a capital Jaipur que é conhecida como a cidade cor de rosa e não tem nada a ver com a turma do Morumbi não, é só a coloração que predomina as casas por lá, o povo Rajastani é famoso pelo o uso dos turbantes, ostentndom um bigode de respeito e são os mais amistosos que encontrei na Índia. Jogo rápido fui para a segunda cidade, Jodhpur, essa ainda mais agradável e com um forte/palácio sensacional, a cor que domina essa cidade é o azul, diz a lenda que a cor da uma amenizada da temperatura e ainda funciona como repelente natural, só o dono da pensão que eu fiquei que não sabia disso e não pintou sua propriedade, calor e mosquitos estavam por lá.
Para finalizar o mês indiano em grande estilo foi a Jaisalmer, cidade bem menor que as outras e com um forte habitado diferentemente dos outros, oferece menos que os outros mas está localizadoperto do deserto de Thar e encarei 2 dias em cima de um camelo uma experiência incrível, visitando vilarejos onde eu ainda não sei como o povo consegue sobreviver numa região seca, onde nada cresce e água é coisa rara apesar do calor beirando os 50 graus. O pôr do sol no deserto que deveria ser dos mais bonitos não deu pra ver por conta de uma tempestade de areia e o céu mais estrelado que eu teria visto também não apareceu, só consegui ver trovões e por fim chuva, sim, choveu, segundo o guia fazia quase 3 anos que não chovia nessa região, 1000 dias e chove justo no dia que eu vou, azar? Claro que não, muita sorte, água é o que esse povo mais precisa e uma chuvinha já é uma ajuda.

Ai acaba meus dias na Índia, uma país gigante que em 30 dias visitei muitos lugares, mas não cheguei a ver nem 10%, precisaria no mínimo 6 meses, mas a viagem segue, agora é Turquia, um pé na Europa e outro na Ásia.


Entrada do Forte em Delhi


Praticamente uma Boy Band indiana


Pequeno local e seu catavento


Todo o profissionalismo de um pedreiro indiano


Eu e o Grande Gandhi


Proibido nadar

Até o corvo precisa de sorvete nesse calor

Templo Lótus

O palácio dos mil espelhos em Jaipur


Alegria enquanto estrangula os colegas


Uma porta no Forte em Jaipur



1 kg de turbante

Pobre macaco com cárie

Bigode estiloso


Todo mundo quer uma foto com o turista do Brasil

trilha sonora no Forte de Jodhpur

um dia minha barba chega lá


A tal da cidade azul

Levanta a poeira e dá um empurrãozinho


É muita alegria

Tio Mineiro

Mais pimpolhos em Jodhpur


O Forte de Jaisalmer a noite


A trupe do deserto


Vidas Secas 1


Vidas Secas 2

Vidas Secas 3


Dunas do deserto de Thar


Toda a pinta de beduino


Cozinha improvisada, comida excelente

Read Users' Comments (10)

10 Response to "Índia II - Explorando a terra dos Rajs"

  1. Thiago, on 31 de maio de 2010 11:18 said:

    Mais uma vez me sinto como um personagem de toda essa aventura...
    Força primo, reta final chegando, tem o lado bom e o ruim. Talvez um compense o outro... hehehehe

    Abraçoss

  2. Anônimo, on 31 de maio de 2010 14:50 said:

    mto booooom, as dunas parecem de mentira !!!!! lindo lindo

    tchaaaau indiiiia

    bóra pro póximo capitulo !!!!

    rá, beijóóóóóóóóóóóóóóx

    saudades, miiii e guiiii

  3. Eneida, on 1 de junho de 2010 11:23 said:

    Fê, Mais história e vivência neste país com tantos contrastes.
    E o grande Ghandi...e a sina da famíla Indira Ghandi... é o poder se manifestando de forma tão covarde...é mais facíl eliminar, para que serve o diálogo nem pensar!!!
    Que prospere a filosofia ba-ha e o Templo de Lotus.!!!"Abaixo a Intolerância".
    Para variar suas fotos são de dar água na boca...ou será a temperatura ou a seca do deserto...hahhahha....
    E este mais novo benuino e sua trupe que fez a dança da Chuva...para este povo tão humilde...
    Bem!!!No meu próximo comentário será a vez das fotos...
    Beijos e Saudades
    Mãe

  4. Marcius, on 2 de junho de 2010 14:40 said:

    E aê velho Minas... força aí no rolê, cara. Descobri teu blog hoje, o Cari que deu um toque num dia que ele me mostrou seu vídeo no Taj Mahal.

    Boa viagem aí procê e toda boa sorte pra completá-la, ok?

    Abração!

  5. Flávia, on 5 de junho de 2010 21:07 said:

    Gostei muito das as fotos!!!!
    A Índia é a fascinante!!!
    Parabéns!!!!
    Tia Dersa

  6. Alice, on 7 de junho de 2010 21:27 said:

    Oi Felipe! parece de brinquedo, o beduino... dunas do deserto parece um quadro de parede.... histórias lindas, porém tristes, mas crianças são sempre felizes, pelo menos parece. Parabéns pelos textos, até mais.bjs. Eu e o Djun morremos de rir com a foto de 236 anos em cada perna....

  7. Eneida, on 11 de junho de 2010 17:58 said:

    Oi Felipe,
    Realmente ás fotos estão demais(vejo o blog todo dia)e como disse a Alice... a do deserto parece um quadro de parede... Que venha a Turquia...com seus encantos e sua história....
    Vou aguardar com ansiedade!!!! Afinal peguei carona nesta etapa da sua viagem...ehehheheh
    Saudades...
    Mãe

  8. Anônimo, on 24 de junho de 2010 11:30 said:

    atualizando onde esta o mineiro:

    http://esportes.terra.com.br/futebol/copa/2010/noticias/0,,OI4519439-EI15647,00-Brasileiros+invadem+comunidade+portuguesa+para+jogo+decisivo.html#tphotos

    vai com tudoooo
    bjbj
    mari santos

  9. Felipe Mortara, on 12 de julho de 2012 18:14 said:

    Felipe, sou repórter do Estadão e estou fazxeno uma matéria sobre voltas ao mundo.
    É meio urgente, se puder me manda um email hoje ainda no felipe.mortara@grupoestado.com.br

    Muito obrigado,
    Abraço,
    Felipe Mortara

  10. Guilherme - Viajando com Eles, on 12 de agosto de 2013 11:46 said:

    Fala Felipe, tudo bem???

    Fiz um post colaborativo para tentar reunir dicas e informações da galera que já fez a volta ao mundo.

    Gostaria muito que você participasse. É só contar um pouco de sua experiência lá nos comentários.

    http://viajandocomeles.com.br/post-colaborativo-rtw/


    Valeu, abraços